Brasil Paralelo → CURSO A ORIGEM DO ESTADO (A VERDADEIRA HISTÓRIA)

O mundo hoje, frente ao passado, parece ser deveras animado e energético, com revoluções conceituais em todos os âmbitos, sociais e estruturais.

Mas, imagine só nos altos do século XVI, quando estávamos diante do nascimento de nações verdadeiramente alicerçadas num sistema funcional.

Pensar que o Estado existe por que existe é uma ilusão, devendo todo aquele que se vê imerso em sociedade conhecer os princípios que regem o funcionamento do que lhe rodeia.

É para isso que o curso A Origem do Estado existe.

Questionando pontos como “Quais princípios produzem as grandes nações?” entre outros pontos sociais relevantes, Ricardo Gomes ensina desde os primórdios de nossa sociedade como conhecemos hoje, onde surgiu o Rule of Law (Império da Lei), até mesmo a formação do Estado Brasileiro.

Brasil Paralelo Origem do Estado

O QUE ESPERAR DO CURSO A ORIGEM DO ESTADO?

Abordando temas relevantes para que compreendamos o mundo que nos vemos hoje, o curso A Origem do Estado é recomendável quer seja para estudantes do Ensino Médio, diante de avaliações de vestibular, assim como adultos que desejam compreender mais sobre a sociedade em si.

O curso também é deveras proveitoso para todo aquele que possui interesse em temas como história e sociologia.

Ainda que o Estado tenha sempre existido através das múltiplas relações em prol do bem comum, foi oficialmente e conceitualmente criado em um momento específico de nossa história.

O Estado moderno brasileiro surgiu tão somente no auge de nossa monopolização do poder do governante do estado, mas para isso muitos passos tiveram de ser dados:

  • IMPÉRIO DA LEI: Sendo o princípio jurídico que a lei deve governar a nação, em oposição às decisões de funcionários do governo. Nasceu no século XVI, como falamos mais acima, e foi um dos primeiros passos rumo à criação de um Estado seguro enquanto instituição, e que limitava o poder dos governantes. O império da lei implica que toda e qualquer pessoa é sujeita às leis, incluindo os próprios legisladores. Nesse sentido, evitam-se as autocracias, ditaduras ou mesmo oligarquias;

 

  • COLONIZAÇÕES E OPORTUNIDADE DE NOVOS COMEÇOS: Com a colonização de novos continentes, se viu a oportunidade de estruturar sociedades completas aos novos moldes estabelecidos no continente antigo. Um marco foi a Independência dos Estados Unidos da América, onde se selara a autonomia das Treze Colônias, baseando-se em leis muito bem estruturadas, fruto tanto da própria forma da colonização quanto da concepção de república aos envolvidos nas revoluções;

 

  • DESCONSTRUÇÃO DOS CONCEITOS ANTIGOS: Com a Revolução Francesa, veio a hora dos antigos conceitos que haviam se estabelecido se dobrarem, tal qual estava sendo feito nas novas colônias;

 

  • FORMAÇÃO DO ESTADO BRASILEIRO: Fruto de uma colonização, a formação do Estado brasileiro foi, de certa forma, semelhante à dos Estados Unidos. Não é à toa que nosso país ia se chamar Estados Unidos do Brasil.

Para explicar todos esses pontos, são usados conhecimentos de anos de pesquisa e aprofundamento teórico.

Se curtiu as pautas que serão tratadas nesse curto, recomendamos fortemente que o adquira (:

estado

 

Veja Também: Recrutador 24 Horas para Marketing Multinível

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *